Nível do Rio Madeira atinge 16,6 metros e mais uma família é desalojada em RO
21/02/2018 08:16 em Rondonia

Nível do Rio Madeira atinge 16,6 metros e mais uma família é desalojada em RO

Defesa Civil Municipal fez a retirada da família na tarde desta terça-feira (20). Outras duas famílias devem ser retiradas da mesma região nesta quarta.

Por Toni Francis 

 

 
Cheia do rio Madeira compromete moradias no bairro São Sebastião II  (Foto: Toni Francis/G1)Cheia do rio Madeira compromete moradias no bairro São Sebastião II  (Foto: Toni Francis/G1)

Cheia do rio Madeira compromete moradias no bairro São Sebastião II (Foto: Toni Francis/G1)

 

Um jovem de 21 anos, a esposa e duas filhas, uma de 4 e outra de 1 ano foram retirados de casa no Bairro São Sebastião II, devido ao avanço do Rio Madeira, em Porto Velho. Nesta terça-feira (20), o nível da água atingiu 16,6 metros.

Segundo a Defesa Civil municipal, esta é a quarta família desalojada pela cheia em menos de uma semana. Nos próximos dias, outras quatro famílias devem realocadas.

 

“Temos oito famílias em observação. Dessas, quatro foram removidas para outras regiões”, explicou o coordenador da Defesa Civil, Marcelo Santos.

 

A exemplo de várias outras pessoas que moram em área alagadiças, Maik de Souza, que mudou-se com a família para a casa do sogro, já está inscrito em um programa de moradia e teve o nome sorteado, mas ainda não sabe quando terá acesso à nova residência.

“Fui vítima da enchente de 2014. Me inscreveram no programa de moradia, mas ainda estou no aguardo da tão sonhada casa”, explicou.

 
Retirada de famílias de área de risco é realizada pela Defesa Civil Municipal em Porto Velho (Foto: Toni Francis/G1)Retirada de famílias de área de risco é realizada pela Defesa Civil Municipal em Porto Velho (Foto: Toni Francis/G1)

Retirada de famílias de área de risco é realizada pela Defesa Civil Municipal em Porto Velho (Foto: Toni Francis/G1)

Nesta quarta-feira, outras duas famílias que moram na mesma comunidade serão retiradas para regiões mais altas.

Uma delas é a do estivador Orlando Franco Félix, de 41 anos. Com o acesso à casa tomado pela água e sem ter recebido a moradia, mesmo tendo sido contemplado no programa da prefeitura, ele foi obrigado a alugar um pequeno apartamento com quem dividirá com a esposa e cindo filhos. “A gente vai sobrevivendo do jeito que dá”, comentou.

 

Na quarta-feira (21), segundo Marcelo Santos, uma equipe da Defesa Civil seguirá para as regiões do médio e baixo Madeira, onde algumas residências já estão sendo isoladas pela água.

“Vamos montar acampamento nessas regiões para prestar apoio efetivo aos moradores dessas comunidades”, afirmou Marcelo.

 
Comunidades do Médio e Baixo Madeira também sentem os efeitos da cheia do Madeira (Foto: Defesa Civil Municipal/Divulgação)Comunidades do Médio e Baixo Madeira também sentem os efeitos da cheia do Madeira (Foto: Defesa Civil Municipal/Divulgação)

Comunidades do Médio e Baixo Madeira também sentem os efeitos da cheia do Madeira (Foto: Defesa Civil Municipal/Divulgação)

 

 

FONTE  G1 RO

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
TOMATE
OVOS
REPOLHO
MELANCIA
MARACUJA
MILHO
BATATA
MANDIOCA
MANDIOCA AO PRODUTOR
MANDIOCA FECUA
ARROZ 1
ARROZ ATACADO
ARROZ LONGO FINO
BOI A VISTA
BOI GORDO
SEBO